Meditação como transformação cerebral e de Vida

MeditaçãoEm princípio, a meditação é algo simples. Pode ser feito por qualquer um em qualquer lugar e momento. É uma prática milenar que traz inúmeros benefícios para o corpo e mente.

Estudos realizados nos últimos anos mostraram que a meditação regular e disciplinada melhora a capacidade de aprendizagem e concentração, a percepção para lidar com as emoções de forma mais saudável, reforça a imunidade e diminui a resposta inflamatória frente ao estresse, auxilia no tratamento da depressão, ansiedade, hiperatividade e dor crônica, retarda o envelhecimento cerebral.

Tudo isso porque ativa áreas cerebrais que normalmente ficariam menos ativas, além de diminuir a atividade de outras áreas. Essa movimentação toda faz com que a estrutura cerebral seja reorganizada e novos circuitos neuronais sejam formados.

Algumas técnicas são especialmente eficientes para nos tornar menos estressados e sujeitos aos estímulos externos indesejáveis que, com frequência, afetam o equilíbrio psíquico, outras técnicas ajudam a desenvolver qualidades como empatia, compaixão e bondade.

Dito isso, a meditação parece ser uma maravilha, e se faz tão bem, por que um número tão pequeno de pessoas tira proveito dela?

A resposta é simples, não importa a técnica ou ferramenta, para que funcione é preciso que seja usada com regularidade, treino e disciplina. Ao contrário do que parece, aquietar-se por 15 a 20 minutos e prestar atenção na própria respiração não é uma atitude exatamente fácil.

É necessário ter a intenção honesta de fazer algo positivo para si mesmo e empenhar-se com disciplina, diariamente. Fazer isso, mesmo sabendo que, principalmente no início, os pensamentos irão voar. O exercício, alias, é exatamente este. Trazer a mente de volta e centrar na respiração quantas vezes for necessário, sem julgamento.

A possibilidade de, ao abrir os olhos, você enxergar o mundo de forma diferente, como se a paz interna transbordasse ao redor, é imensa. Mas requer determinação, paciência e tempo.

Uma das práticas mais usadas e simples – ATENÇÃO FOCADA – requer sentar-se em postura confortável, com a coluna ereta e ao mesmo tempo relaxada, pode ser em cadeira, em posição de lótus ou com as pernas cruzadas, os olhos semiabertos ou fechados, isso ajuda a estabilizar a mente, que muitas vezes é desorganizada e com muitos pensamentos. A proposta é dominar a mente e é importante aquietar-se, com intenção de autotransformação. A atenção passa a ser focada na respiração, no ato de inspirar e expirar, acompanhando o trajeto do ar ate cerca de 3 dedos abaixo do umbigo, percebendo sua entrada e saída. Em alguns momentos, os pensamentos irão voar, mas o segredo é não segui-los e nem julga-los, deixa-los passar e voltar a atenção para a respiração novamente.