TPM ou TDPM – Transtorno pre menstrual ou transtorno disfórico pre menstrual

TPM ou transtorno pré-menstrual é considerada uma síndrome, pois apresenta um conjunto de sinais e sintomas que ocorrem de maneira cíclica na segunda fase do ciclo menstrual (1 ou 2 semanas antes do período menstrual) e desaparece  nos primeiros dias do ciclo menstrual (geralmente de 2-3 dias após o inicio do fluxo menstrual).

Neste intervalo de tempo, que é variável em cada mulher, podem aparecer sinais e sintomas físicos e psíquicos.

Estima-se que 75% das mulheres apresentem algum dos tipos de TPM e tende a ocorrem com maior frequência no período de idade que vai dos 20 aos 40 anos, com recorrência mensal e manutenção de um padrão previsível dos sintomas. Contudo, as alterações que as mulheres experimentam neste período podem ser particularmente intensas em alguns meses e leves em outros.tpm 1

A causa exata da síndrome pré-menstrual não é conhecida, mas muitos fatores contribuem para sua ocorrência. Mudanças nos níveis hormonais e na química cerebral. Estados de estresse ou problemas psicológicos associados, podem colaborar para a piora dos sintomas da TPM. Existem ainda, outros fatores que acredita-se estarem associados aos sintomas da TPM como baixos níveis de vitaminas E e B6, diminuição de cálcio e magnésio, excesso de sal nos alimentos e ingestão de bebidas alcoólicas e cafeinadas nestes períodos.

A TPM pode ser classificada em 4 tipos, sendo que uma mesma mulher pode apresentar os sintomas de 1 ou mais tipos conjuntamente:

  • TIPO A: Tipo mais frequente, apresenta ansiedade, tensão, irritabilidade, dificuldade para dormir.
  • TIPO C: Aumento do apetite, compulsão alimentar (predominando a procura e ingesta de doces), fadiga e dor de cabeça.
  • TIPO D: sintomas depressivos com sentimentos perturbadores, raiva sem motivação, pouca concentração, baixa auto estima, lapsos de memória, sentimentos violentos.
  • TIPO H: Há um aumento súbito de 2-3 quilos no peso corporal com inchaço nas extremidades do corpo devido a retenção de líquidos, aumento das mamas e maior sensibilidade, dor e distensão abdominal.
  • TIPO O: alterações de habito intestinal, aumento da frequência de urinar, fogaços ou sudorese fria, dores generalizadas incluindo cólicas, náuseas e acne.

 Transtorno disfórico pré-menstrual

Uma pequena parcela das mulheres apresenta sintomas que a incapacita no período pre menstrual todos os meses. Este tipo de TPM tem uma nomeação diferenciada conhecida como desordem ou transtorno disforico pre-menstrual (DDPM ou TDPM). Esta desordem é um tipo severo de TPM com sinais e sintomas que incluem sintomas depressivos mais graves, sentimentos de desesperacça muitas vezes associados, raiva, ansiedade, baixa auto-estima, dificuldade de concentração, irritabilidade, agressividade e tensão.

Mulheres com TDPM podem apresentar alguma alteração psiquiátrica associada que deve ser pesquisada por um medico/psiquiatra, para que possam ser tomadas as condutas adequadas e seja feito o tratamento mais adequado.

Como se faz o diagnóstico de TPM

Não há exame físicos ou laboratoriais que auxiliem no diagnostico desta síndrome, mas o padrao regular e previsível de comportamento e sintomas ajuda na realização do diagnostico.

Cada mulher apresenta o seu próprio padrão de sintoma, para estabelece-lo podem ser feitos diários anotando os sinais e sintomas que são observados em pelo menos dois ciclos menstruais consecutivos.

Observar os hábitos alimentares, a prática de atividades físicas, o trabalho e a estrutura familiar também são importantes.

Preste atenção ao primeiro dia em que você começa a sentir os sintomas ou sinais da TPM, assim como ao dia em que eles desaparecem. Também marque o dia em que começa seu fluxo menstrual e o dia em que ele termina.

Como alternativa, no primeiro dia do seu fluxo menstrual, você pode descrever seus sinais e sintomas durante as duas semanas anteriores. Isto ira ajudar seu medico a avaliar se é necessário algum tipo de avaliação adicional ou tratamento.

O que pode ser feito para reduzir os sintomas da TPM?

 A primeira coisa é conhecer seus sinais e sintomas, quando eles começam e quando terminam, seu tempo de duração. Outra coisa importante é perceber o que no seu cotidiano ou alimentar pode desencadear a piora destes sintomas.

Acredite nas suas alterações hormonais e lembre-se delas quando os sintomas aparecerem, pois quando sabemos que estamos mais sensíveis e o motivo desta maior sensibilidade, torna-se mais fácil administrar o nosso comportamento em relação aos outros.

Depois disso, você pode aprender a controlar os sintomas da TPM fazendo modificações nos seus hábitos alimentares, nas suas atividades físicas e em suas atividades diárias.

Não se sinta desencorajada caso essas modificações de comportamento levem um tempo para ajuda-la. Você vai encontrar o que mais alivia os seus sintomas com o passar dos ciclos.

Outras modificações que podem auxiliar a diminuir estes sinais e sintomas são :

  • Refeições mais frequentes e com menor quantidade de alimentos, isso ajuda a reduzir o
    inchaço e a sensação de plenitude gástrica.
  • Incluir carboidratos complexos ou integrais, pois possuem menor teor de gorduras e são ricos em vitaminas, minerais e fibras.
  • Evitar excesso de sal, pois ajuda a diminuir a retenção de liquidos e o inchaço ou edema.
  • Evite cafeína, açúcar, gorduras de origem animal e bebidas alcoolicas.
  • Incorpore atividades físicas em sua rotina, pois fazer 30 minutos de atividade física 4 a 6 vezes por semana, ajuda a melhorar sua saúde de forma geral e alivia os sintomas de fadiga e as alterações de humor.
  • Reduza o estresse, tente dormir o suficiente para seu bem estar, pratique relaxamento muscular e exercícios respiratórios profundos para ajudar a reduzir as dores de cabeça, ansiedade e a insônia.
  • Tente fazer yoga, meditação ou massagem como meios de relaxamento e alivio do estresse.

Quando procurar ajuda médica?

Caso você não consiga controlar seus sintomas de TPM com modificações em seu estilo de vida ou eles estiverem atrapalhando sua saúde e atividades diárias, procure ajuda de um médico.