Tratamentos

Transtorno de Humor Bipolar

O transtorno bipolar ou bipolaridade como é popularmente conhecido, é uma doença que varia muito em sua apresentação, desde formas leves a formas mais graves, que chegam a exigir hospitalização. É uma doença que exige diagnóstico e tratamento ou acompanhamento contínuo, assim como aderência ao uso de medicamentos.

Também é muito importante que o paciente aprenda sobre seu funcionamento e seus sintomas para que, com o tempo, possa entender e lidar melhor com a oscilação de humor que ocorre e os seus sintomas e modo de reagir.

No transtorno bipolar do humor, ocorrem oscilações acentuadas do humor, passando de episódios depressivos a episódios de mania ou hipomania como são chamados. Entre essas fases, podem ocorrer períodos em que a pessoa não apresenta sinais ou sintomas da doença. Assim como em outras fases, podem ocorrer sinais e sintomas das duas variações ao mesmo tempo.

Os episódios depressivos apresentam humor deprimido e alguns dos sintomas e sinais como tristeza, choro fácil, ideias pessimistas, falta de motivação e de iniciativa, perda ou diminuição do prazer, diminuição da vontade ou da energia para realizar as atividades rotineiras, desinteresse, dificuldade de concentração, esquecimentos, indecisão, aumento da irritabilidade e impaciência, fadiga, cansaço, dores pelo corpo, alterações de sono e de apetite, sentimento de culpa, de inutilidade, de fracasso.

Os episódios de mania ou hipomania, apresentam – se muito variáveis quanto aos sintomas e sinais, porém estão associados a euforia, irritabilidade e agressividade, aumento dos planos e projetos de vida, ideias grandiosas, aumento da autoestima, aumento da energia, agitação, impulsividade, muitas vezes maior necessidade de falar e de se comunicar, diminuição da necessidade de dormir e mesmo dormindo pouco, com sensação de estar descansado, aumento da distraibilidade e do envolvimento em atividades prazerosas, pode haver compras excessivas e indiscrições sociais, envolvimento em atividades de risco.

O tratamento é necessário e precisa ser contínuo para prevenção de recaídas.

É importante, no caso do transtorno bipolar, haver mais do que uma aliança terapêutica entre o médico e o paciente, já que a patologia é complexa e crônica. Deve ser tratada ao longo do tempo com uma série de intervenções e com objetivo de melhorar a qualidade de vida do paciente.

Existem maneiras de monitorizar e reconhecer os sinais e sintomas que aparecem antes mesmo de iniciar um novo episódio, seja ele depressivo ou de mania/ hipomania. Esta percepção e maior controle, fornece ao individuo a sensação de controle e permite uma ação imediata, o que aumenta a autonomia do paciente no tratamento e diminui os prejuízos causados pelos episódios da doença.

Procure sempre a ajuda de um profissional!